7 de janeiro de 2010

José Maria Pedroto

Quis o destino que o primeiro post deste blog fosse, nada mais nada menos, sobre o treinador cuja capacidade de inovação ajudou a revolucionar o panorama do futebol português e a lançar as bases para fazer do FC Porto o que é hoje.

Fez hoje precisamente 25 anos após a sua morte. Para a história ficam não só os títulos que conquistou de Dragão ao peito (tanto como jogador como a treinador) mas, também, a sua sabedoria e perspicácia. Dizia-se que o "Zé do Boné", como ficou também conhecido, estava muito adiantado no tempo em relação à época que vivia.

Em jeito de recordação, recolhi na imprensa algumas das suas melhores frases. Aqui ficam:

- «O verdadeiro calcanhar de Aquiles do nosso futebol reside no simples facto de quase todos pensarmos que, quando saímos dos estádios, já não somos profissionais de futebol»

- «Estamos na mediania no conceito europeu. Relativamente ao futebol de alta competição, temos meia dúzia de jogadores com grande classe»

- «Não vai ser preciso nenhum milagre para que o F.C. Porto alcance finalmente o título que ambiciona há anos»

- «Duda é o meu brasileiro. Dois brasileiros juntos são uma escola de samba, três são uma multidão em Copacabana»

- «O futebol é muito fácil. É o pão numa mão e o chicote na outra. A virtude é nunca usar o chicote»

- «As gentes do Porto são ordeiras. Se não fossem, há muitos anos teriam recorrido à violência perante os enganos dos árbitros que têm decidido da perda de muitos campeonatos e Taças»

- «O F.C. Porto cada vez mais aparece como potência do nosso futebol, capaz de conseguir a hegemonia e é claro que isto preocupa o Benfica e o Sporting»

- «É tempo de acabar com a centralização de todos os poderes da capital»

- «No F.C. Porto não há contestatários maricas, nem os problemas se levantam, porque nunca chegam a existir»

- «Jorge Nuno Pinto da Costa, para além de ser um cidadão respeitável, afirmou-se como um competentíssimo dirigente. A ele se deve, em grande parte, a projecção que o FC Porto atingiu, a nível nacional e europeu. O tempo há-de fazer-lhe justiça»

- «Não tenho dúvidas de qualquer espécie de que ao Artur Jorge não faltará onde trabalhar e que, em qualquer parte, triunfará. Mas também acredito que vai ser no FC Porto que ele acabará por ser revelar como um homem predestinado para a direcção e comando de equipas de futebol»