17 de setembro de 2010

Ainda sobre a choradeira...

Poucos dias depois do fantástico comunicado dos órgãos sociais do Benfica, onde atiravam em tudo o que mexia, descobriu-se que afinal a história estava muito mal contada, como nos revela o site do FC Porto na sua rubrica «Labaredas».

«Sabia desta, Vítor Serpa?
A mais recente e efusiva posição dos órgãos sociais do Benfica, afinal, não foi delineada na passada segunda-feira, mas sim num almoço em pleno Estádio da Luz, um dia antes. Ficámos a saber desta realidade ontem, num debate televisivo, confirmada por António-Pedro Vasconcelos, um dos comensais. Ou seja, aquilo que foi anunciado com pompa e circunstância pelo presidente da assembleia-geral encarnada, e que ainda hoje tem direito a páginas pagas nos jornais, estava previamente definido!

No decorrer do «Trio de Ataque» desta terça-feira foi divulgado, pela voz de Rui Moreira, que Luís Filipe Vieira, Luís Nazaré, Rui Gomes da Silva, Manuel dos Santos e António-Pedro Vasconcelos tinham reunido no domingo para debater o tema. Só assim, de resto, se justifica por que é que, na manhã seguinte e muitas horas antes da reunião e do comunicado dos órgãos sociais do Benfica, o jornal A Bola já trazia a súmula das deliberações que seriam mais tarde debitadas por Luís Nazaré.

O Labaredas tem algo a acrescentar sobre o episódio: não se tratou de qualquer fuga de informação e A Bola não soube dos tópicos do protesto descabelado por terceiros. Isto porque Fernando Guerra e José Manuel Delgado estiveram presentes no repasto. Está explicada a antecipação! Sabia desta, caro Vítor Serpa? Onde é que fica a isenção jornalística nesta nítida colagem de elementos de A Bola ao Benfica?»


Para quem não sabe os senhores referidos são os representantes do Benfica nos mais importantes programas de debate sobre futebol, tanto da rádio como da televisão. Ou seja, estiveram a combinar a história a contar. Isso é evidente, por exemplo, nas declarações de António-Pedro Vasconcelos no Trio D'ataque. Este, nos primeiros programas da época, apostava com quem quisesse que os quatro primeiros classificados da Liga seriam os mesmos e pela mesma ordem da época anterior. Afirmou-o pelo menos em dois programas seguidos. No entanto bastou um almoço para, de repente, este senhor afirmar que no inicio da época teve o pressentimento que o Benfica ia ser prejudicado até o Porto ter uma vantagem confortável na liderança e que após isso o Benfica até ia ser beneficiado num jogo grande!

Depois deste almoço, a máquina de propaganda encarnada começou a espalhar estas baboseiras por todo lado. Era o Marítimo que ia em último porque não aceitou libertar o Kléber para o FC Porto, eram os árbitros que quando erram em favor do Benfica é apenas para lhes retirar o mérito, etc, etc, etc...

E isto resulta! Veja neste LINK o exemplo disso mesmo.
«Mal vai o mundo quando os cegos são governados pelos loucos.»

A estupidez não tem limite!

Esqueça tudo o que leu até agora num jornal. O próximo texto é de uma estupidez a toda a prova. Muito provavelmente, a "senhora" que o escreveu tem o intestino-grosso ligado ao cérebro, porque daquela cabeça só sai merda.

«A Operação Vindima:

“Pelo fim de Setembro, as vindimas constituem uma das mais importantes actividades agrícolas do país”.
in ‘almanaque Borda d´Água’

“Cacho aqui, cacho ali, untava em cada vindima uvas suficientes para atestar dois lagares”.
João de Araújo Correia, ‘Terra Ingrata’

“Por esta altura o Douro é um frenesi de vindima”.
Eça de Queiroz, ‘A cidade e as serras’

“Lá no Norte, se alguém perguntar ‘oh filho da puta, tudo bem?’ ninguém vai achar que está a ofender a mãe. Se aparecer alguém que se tenha ofendido com isso…"
Pinto da Costa, declamador de poesia

«SOBE o pano. Uma mesa comprida no centro de uma sala. Uma meia dúzia de personagens em mangas-de-alpaca exibe grande agitação. Há alegria no ar. A cena passa-se algures lá no Norte, naquela região demarcada onde se alguém perguntar ‘oh filho da puta, tudo bem?’ ninguém se ofende porque é um trato entre amigos que se respeitam…

- Silêncio! Silêncio, façam o favor de se manterem em silêncio porque temos de dar início aos trabalhos!

Impossível, no entanto, cumprir a ordem do primeiro orador. Há um frenesi delicioso à volta da mesa. Todos os filhos da puta falam ao mesmo tempo e estão mais interessados em ouvir-se do que em ouvir os outros. É natural que assim seja, sendo humanos padecem do pecadilho da vaidade e todos têm muito sobre que se gabar.

- Siiiiilêêêêêncio!

- Está boa, está! Essa do silêncio está impecável, até faz lembrar o secretário Laurentino a dizer que só quer ouvir o barulho dos adeptos e que não quer ouvir outros barulhos!

Os filhos da puta presentes parecem que foram impulsionados por uma mola. Saltam das cadeiras onde mal se tinham sentado e prestam uma grande ovação espontânea ao supra-referido secretário de Estado da Juventude e Desportos. Depois voltam a sentar-se, já mais calmos.

- Ora bem, não haja dúvida que foi muito bem metida!

- Ora bem, o excesso de zelo nunca fez mal a ninguém…

- Vamos lá então falar do que aqui nos trouxe… a Operação Vindima!

- Viva a Operação Vindima! Viva!

Gritam todos os filhos da puta presentes e trocam entre si fraternais apertos de mão e formidáveis palmadas nas costas.


- Ai, tenha lá cuidado com isso que o fato é novinho!

- Mas não lhe custou a comprar…

- E assenta-lhe na perfeição. O meu amigo está uma elegância!

- No que diz respeito à Operação Vindima…

- Está a ser um êxito, nunca pensei que corresse tão bem, parabéns a todos os presentes!

- Calma, muita calma porque, ao contrário do que disse ainda há momento o nosso estimado filho da puta do fundo da mesa, há situações em que o excesso de zelo pode fazer mal…

- Carago, vocês nunca estão satisfeitos! Então se a Operação Vindima foi sonhada para que o Benfica fosse arrumado antes do início da época das vindimas e as coisas já estão como estão, o que é que vocês querem mais?

- Queremos menos! Isto assim começa a dar muito nas vistas, não se pode sonhar tão alto…

Um coro de protestos ressoa pela sala. É o que acontece sempre que funcionários diligentes se vêm repreendidos em nome da diligência.

- Isto é incrível! Os passarinhos já estão a 9 pontos, os lagartos ainda estão vazios e vêm agora dizer-nos que estamos a exagerar! Mas não era este o objectivo da Operação Vindima?

- Faço minhas as palavras do caríssimo filho da puta anterior…

- Faça o favor de não me insultar! Eu não sou caríssimo, sou baratíssimo!

- Ordem na mesa! Silêncio! Eu quero saber quem é que teve a triste ideia de inventar uma homenagem ao desgraçado do árbitro, que é apenas humano, antes do jogo dos coitadinhos em Guimarães!

Fez-se pela primeira vez um silêncio que deu lugar a um vago murmúrio geral. Mas ninguém se acusou. E, mais importante ainda, ninguém acusou ninguém. Até que uma voz apaziguadora se fez ouvir.

- Oh meus filhos da puta, não nos vamos zangar por uma coisa destas!

- E por que não? Se alguém se zangar por causa de uma coisa destas até seria muito bom. Amua um bocadinho em público por razões misteriosas e depois, é o nosso candidato à presidência da Federação Portuguesa de Futebol!

- Isto não é genial! Isto ultrapassa todos os limites da inteligência humana!

- Então, no é que ficamos? Zangamo-nos ou não nos zangamos? No meu entender o nosso objectivo principal neste preciso momento é garantir o sucesso da Operação Vindima! E nem temos que fazer nada, basta sonhar para que as coisas aconteçam.

- Pois, mas isto da homenagem ao árbitro foi um bocado demais. O que é que se faz agora ao rapaz?

- Não se faz nada. Quando ele estiver perto do fim da carreira vai com certeza arbitrar um jogo do Benfica e, como errar é humano, se Deus quiser há-de enganar-se numa decisão e o Benfica há-de ganhar o jogo graças a um penalty que só ele é que descortinou…

- Brilhante, meu estimado filho da puta! E depois fica para a História como um árbitro-lampião!

- E os mouros a estrebuchar!

- E o rapaz não pode ir já no domingo apitar o Benfica-Sporting?

- Arre que você é burro todos os dias! Então não percebe que, por ora, precisamos dos lagartos. A Operação Vindima, para ter êxito, não pode vindimar a Segunda Circular toda ao mesmo tempo. Carago, Lisboa é Lisboa!

- Ainda se o Sporting fosse da ilha da Madeira, como o Marítimo…

Os convivas irrompem em nova manifestação de alegria. Com os seus sotaques abertos do Norte deitam-se a imitar o sotaque fechado das ilhas e o resultado é estrondoso, ainda que imperceptível. (Nota: são precisos actores muito talentosos para representar convenientemente esta cena.)

- Eu só espero que ninguém se lembre de homenagear o rapaz que vindimou o Marítimo no jogo com o Paços de Ferreira!

- É para aprenderem!

- O rapaz já esteve impecável no Benfica-Académica! Merecia uma homenagem.

- Cale-se com porcaria das homenagens, já basta a homenagem ao outro e sempre gostava de saber quem foi o estimado filho da puta que teve a ideia.

- Mas o outro mereceu mesmo ser homenageado. Eu quando o vi a dar o amarelo ao Javi García lembrei-me logo do José Prata a fugir atrás dos rapazes todos e nem um amarelo mostrou!

- Para mim foi o melhor momento do jogo! Foi uma satisfação muito grande. Sete cartões amarelos!

- Parecia que estavam com icterícia!

- Genial!

- Por falar em icterícia, no meu entender, o Marítimo há-de ir direitinho para a Liga Orangina. E antes do Natal!

- Por amor de Deus, não se ponham com prazos! Isto da Operação Vindima já está a dar muita bandeira…

- Para o Marítimo havia-se de fazer uma Operação São Martinho, que é a 11 de Novembro.


- E para o Sporting?

- Os lagartos, neste momento, até dão jeito porque ajudam a revolver a terra.

- Isso são as lagartixas!

- E nós não queremos fazer nenhuma horta!

- Mas queremos fazer o Horta!

E brindam, uma vez mais à agricultura. Desce o pano”.»

in A Bola - Leonor Pinhão, 17/09/2010


O desespero dos anti-portistas é evidente. Esta limita-se usar a demagogia benfiquista ao máximo. Nem valerá a pena declará-la 'persona non grata', pois isso sempre o foi. O melhor será tratá-la apenas com desprezo.

15 de setembro de 2010

Os parolos somos nós!?

Imagem de Luís Filipe Vieira durante a campanha eleitoral do SL Benfica, em 2009.
"Solicitar ao Senhor Ministro da Administração Interna uma audiência para debater a violência de que a equipa do Benfica tem sido alvo cada vez que se desloca ao Porto. Não queremos confundir as gentes do Porto – que seguramente não se revêem neste tipo de comportamento – com um grupo de delinquentes que organizada e reiteradamente e de forma impune têm vandalizado o autocarro do Benfica e atentado contra a integridade física dos seus atletas."

14 de setembro de 2010

Dicionário Benfiquês-Português

Hoje, durante o meu dia de trabalho, lembrei-me de ajudar toda a comunidade não-benfiquista a entender um pouco do dialecto que o Benfica usa para comunicar com os seus simpatizantes. Vou então tentar descodificar partes do comunicado que o Benfica emitiu ontem.

Em primeiro lugar o(s) autor(es) do texto começou(começaram) por fazer um pequeno ponto de situação onde tinha frases como:
«a esperança de um campeonato sério ainda não morreu, mas foi fortemente atingida» que podemos traduzir livremente por «ainda temos hipótese de ser campeões, mas já não vejo jeito»;
«O Benfica agirá sempre no estrito cumprimento da lei, não estando disponível para trilhar caminhos sinuosos que outros percorreram sem problemas de consciência e sem reparo ou castigo da justiça.»
esta frase significa que o Benfica nunca aceitaria, por exemplo, receber um troféu depois de adeptos seus andarem a ameaçar por telefone árbitros dos seus jogos, antes e depois dos mesmos;
«No nosso mandato não vamos montar uma estrutura organizada à margem da lei, nem um modelo de violência e intimidação de agentes desportivos ou jornalistas. Essa não é a nossa postura, nem a nossa forma de agir. Ganhar dessa forma é apenas alimentar uma mentira.» aqui, o Benfica faz uma espécie de juramento. O que se jura é que o Benfica não voltará a mandar 'capangas' a um aeroporto agredir o empresário de um atleta, ou que não voltará a organizar emboscadas em túneis. Em suma, que o seu presidente não mais fará as coisas "por outro lado".

Depois desta introdução seguem-se sete pontos distintos. Queria realçar apenas que foi de uma deselegância, por parte de quem elaborou o comunicado, ter incluído no mesmo mais pontos do que os que a equipa de futebol profissional conquistou no campeonato até à data. Vamos então analisar esses pontos:

1) «Cada um deve assumir as suas responsabilidades e o senhor Vítor Pereira tem a obrigação de garantir condições de igualdade nos critérios e na acção dos árbitros a todos os clubes em Portugal. Algo que até aqui não aconteceu.»
Aqui o Benfica exige que o responsável pela arbitragem admita que os árbitros não têm tratado todas as equipas com base no mesmo critério. Muito me admira esta posição do clube, porque isso já o Sr. Vítor Pereira tinha referido a meio da época anterior, mas como foram campeões devem ter feito orelhas surdas. (Aqui poderia ter feito uma piada fácil com base no volume das orelhas do Sr. Vieira, mas preferi não o fazer.)

2) «queremos pedir aos sócios e adeptos do Benfica que continuem a apoiar, de forma inequívoca e sem reservas, a equipa nos jogos que o Benfica realiza no Estádio da Luz, mas que se abstenham de se deslocar aos jogos fora de casa» Aqui o Benfica tenta castigar todos os clubes 'pequenos' por ousarem conquistar pontos frente à sua equipa. Aconselhando os benfiquistas a guardar o dinheiro para vir encher os cofres da "Instituição Benfica". Ainda neste ponto o Benfica acrescenta «os sócios e adeptos do Sport Lisboa e Benfica não devem continuar a ser lesados económica e emocionalmente.», aqui outro erro por parte de quem escreveu o comunicado, porque se não quiserem sair lesados, os benfiquistas também não deveriam assistir aos jogos em casa.

3) «Solicitar ao Presidente do Sport Lisboa e Benfica a suspensão imediata de quaisquer negociações relativas aos direitos televisivos relativos aos jogos da sua equipa profissional a partir da época 2012/13 que possam estar a decorrer com a Olivedesportos. Mais, foi igualmente solicitada uma avaliação no sentido de apurar a possibilidade do Clube passar a gerir de forma autónoma os seus direitos audiovisuais.

Não podemos continuar a tolerar que a falta de seriedade dentro de campo tenha a cumplicidade daqueles que, tendo os nossos direitos televisivos, não revelam isenção na análise e camuflam os erros daqueles que sistematicamente nos prejudicam.»

Tradução: «Vais-te f**** Oliveira, não ajudas na propaganda encarnada vais ter de pagar a BenficaTV a partir de 2013 se quiseres ver o "Glorioso", tu e toda a gente. O que é isso, por a hipótese do Benfica não estar em primeiro por culpa própria?»

4) «Equacionar, em face do desgaste e da falta de garantias de isenção na arbitragem agora evidenciadas, a participação na presente edição da Taça da Liga.» ou seja «em princípio ninguém nos apanha na Taça da Liga, já não nos basta passar vergonha com as equipas da Primeira Liga íamos agora sujeitar-nos a passar também com as da Segunda. Assim até poupamos energia para as competições que tem algum valor.»

5) «Solicitar à comunicação social que, fazendo o seu trabalho, denuncie quem adultera as regras. Que investigue as notas que alguns observadores têm atribuído a algumas actuações de árbitros. Que compare aquilo que sucedeu no campo com a nota posteriormente atribuída.» Esta aqui não percebi muito bem. Deve ser dirigida à BenficaTV ou ao jornal A Bola, visto que é a única imprensa que este clube reconhece.

6) «Solicitar ao Senhor Ministro da Administração Interna uma audiência para debater a violência de que a equipa do Benfica tem sido alvo cada vez que se desloca ao Porto.» Tanta formalidade para quê? No próximo jogo do Benfica em casa combinam melhor isso, já que ele é presença assídua na tribuna da Luz. Tanto ele, como o seu antecessor, como o Ministro da Justiça, como um ex-Ministro dos Assuntos Parlamentares.

7) «Declarar o Secretário de Estado ‘persona non grata’ pelo trabalho que prestou ao futebol português. Abandonou a anterior Direcção da Liga no seu combate pela credibilização do futebol português, alheou-se – por completo – do processo “apito Dourado”. É, ainda, o responsável por nada fazer para aplicar a lei, pelo que a arbitragem e a Comissão Disciplinar continuam na Liga, quando já deviam estar na Federação Portuguesa de Futebol desde 1 de Julho.» Então Laurentino? Alheou-se da caça ao FC Porto? Como é que quer ser bem-visto pelo clube do estado? Ainda foi capaz de deixar a Comissão Disciplinar na Liga? Não vê que o Sr. Ricardo Costa já não é o responsável por ela? Assim o Benfica não tem lá que arranje o 'caldinho'... Oh...

E por último:
«Queremos concluir dizendo que compete aos benfiquistas defender o Benfica e apelando a todos para amanhã, no nosso estádio, darmos uma grande demonstração da nossa força e da nossa união.» Aqui a força do Benfica ficou bem patente. Equipa em baixo de forma, estádio meio. E não só! Aos 16 minutos da primeira parte ficou uma grande-penalidade por assinalar a favor do Hapoel por agarrão de Luisão ao avançado dos Israelitas. O Benfica venceu por 2-0. Pelo menos na Liga dos Campeões a verdade desportiva está garantida.

13 de setembro de 2010

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades...

2009/2010 (Após o caso do túnel)
"O pior que pode acontecer no futebol é não saber perder. Neste momento acredito que os árbitros não errem premeditadamente. Apesar de ainda haver um ou outro. Nesta época não falamos de arbitragens."

2010/2011 (À 3ª jornada!)
"Nós não gostaríamos de estar a falar de arbitragem mas são factos. Se os critérios na arbitragem fossem iguais, o Benfica teria mais pontos."

Ambas as declarações são de Luís Filipe Vieira. Durante o tempo que separa as duas entrevistas apenas uma coisa mudou, a classificação da Liga. Porque quando o Benfica estava a ser "embalado" pelo CD da Liga e pelas arbitragens ninguém ligado a esse clube se indignava. Aliás, repare que o indivíduo em questão até confiava nos árbitros!

Repare também que a entrevista desse senhor veio antes do jogo de Guimarães onde, aí sim, foram prejudicados. Não tanto como dizem, mas foram. Mas também toda a gente sabe que o Sr. Olegário tem muitas dificuldades em ver grandes-penalidades. O Sr. Vieira ainda se deve lembrar que, no jogo em que quase (Quase!) eram campeões no Dragão, o Sr. Olegário transformou uma grande-penalidade a favor o FC Porto num 2.º cartão amarelo para o Fucile. Já nem falo do jogo onde eliminaram o Nacional da Taça da Liga onde, esse mesmo senhor, depois de ver o seu auxiliar anular um golo limpo ao Nacional, protegeu o Luisão de um sumaríssimo ao dar-lhe um amarelo (!) depois deste ter dado dois pontapés num adversário.

Voltando à entrevista, o Sr. Vieira (já que estava numa de falar de erros) podia ter referido que contra o Vitória de Setúbal o árbitro em questão errou em perdoar três cartões vermelhos ao Cardozo por outras tantas agressões a adversários (neste caso até dou razão ao árbitro, se os punha a jogar com nove a esta hora se calhar estavam com zero pontos e ai é que ninguém aguentava o choro). Ou então podia ter apelado ao CD da Liga para estudar bem o vídeo do jogo da Supertaça deste ano, pois se ainda fosse o Sr. Ricardo Costa o presidente desse organismo havia ali tema para uns cinco sumaríssimos a jogadores do Benfica (pois, se calhar não havia... Esse sabia quem castigava...).

Como disse o Sr. Manuel Machado, é muito difícil sorrir no momento da derrota.

Milagre!