7 de março de 2012

Cagar de alto

No final da vitória do FC Porto no Estádio da Luz, Jorge Jesus afirmou na flash interview e na conferência de imprensa que o árbitro auxiliar viu que Maicon estava fora-de-jogo no lance do 3-2 e que não assinalou a infracção porque não quis. Disse-o com todas as letras.

Depois de ter feito está afirmação, o mesmo Jorge Jesus apareceu na segunda-feira na conferência de imprensa com a certeza de que não seria castigado.

E não é que acertou? Ontem a LPFP comunicou os castigos referentes aos incidentes da última jornada e nem uma referência às acusações de Jorge Jesus.

Era óbvio que Jorge Jesus sabia que não ia ser castigado. De facto ele tem uma liberdade muito maior do que os seus colegas, os outros treinadores. O treinador dos encarnados é o único que pode passar o jogo todo a discutir com a equipa de arbitragem. É o único que pode passar o jogo todo fora da área do banco de suplentes. E é o único que pode agredir os adversários sem nada lhe acontecer. Porque motivo haveria o Jorge Jesus de ser castigado por acusar um árbitro auxiliar de agir premeditadamente contra o Benfica?

Quem afirmar que o Benfica perdeu contra o FC porto por causa da equipa de arbitragem é mentiroso ou nada percebe de futebol. Jorge Jesus e Luís Filipe Vieira encaixam nas duas categorias.



Nota: Falta neste vídeo um lance de Luisão a derrubar Álvaro Pereira na área do Benfica aos 41 minutos de jogo. Basta pesquisar no YouTube.

6 de março de 2012

O renascer do Dragão

A vitória do FC Porto sobre o Benfica foi mais que isso. Foi mais que a vitória de Vítor Pereira sobre Jorge Jesus. Foi mais do que ganhar três pontos. Foi Vítor Pereira a mostrar finalmente que tem a garra e coragem necessária para treinar o FC Porto.

A substituição de Rolando por James, e o resultado que esta trouxe ao jogo, deu a Vítor Pereira um balão de oxigénio que pode ser vital para que a equipa possa acabar a época em primeiro lugar.

Desde que fechou o mercado de Janeiro a equipa tem melhorado o nível exibicional semana após semana. Isso foi notório para mim como disse após a eliminação da Liga Europa. Com o arrumar da casa Vítor Pereira consegui dar estabilidade à equipa e manter uma base de seis/sete jogadores no onze inicial jogo após jogo.

Ao contrário da opinião de Jorge Jesus, as chegadas de Lucho e Janko foram fundamentais para o FC Porto. Além do seu contributo jogo após jogo, a sua chegada trouxe a experiência que faltava ao até então plantel mais jovem da Liga.

O mais difícil, que era recuperar o primeiro lugar, já foi feito. A confiança tem vindo a subir de forma gradual com a qualidade do futebol praticado e a tendência é melhorar ainda mais quando o plantel estiver a 100%. Mangala já está quase apto e dentro de menos de um mês temos Danilo e Varela de volta.

Neste momento faltam nove jornadas para terminar o campeonato e temos de ganhar todos os jogos para sermos campeões sem termos de fazer contas. O primeiro é já no próximo sábado, frente à Académica, no Dragão. Vais faltar?