22 de março de 2012

Porque mente Jorge Jesus?

Mente porque sabe que está a agir mal. Onde escrevi "mal" leia-se "contra a lei". Mente descaradamente e de todas as maneira que pode.

“Nas leis do jogo não existe a palavra bloqueio. Existe sim antecipação. Isto é uma forma de alertar para a qualidade das nossas bolas paradas. Não trabalhamos bloqueios, isso é no basquetebol. O que eu digo aos meus jogadores é que, quando estão agarrados, têm de arranjar maneira de deixarem de estar agarrados. Eu quero é que os árbitros vejam o que fazem aos nossos jogadores. É natural que os jogadores se agarrem uns aos outros. Mas os grandes prejudicados somos nós, pois o Luisão e Javi são sempre agarrados. Aliás, no segundo golo frente ao FC Porto o Luisão está a ser agarrado. No meio desta situação, os jogadores do Benfica são sempre os prejudicados”.

 A imagem não deixa dúvidas, mas se juntarmos a isto as declarações de antigos jogadores que trabalharam com o actual treinador do Benfica a situação fica bem clara: Jorge Jesus é um mentiroso compulsivo e é um especialista em sacudir a água do seu capote.

Jorge Coroado não podia ser mais claro em relação a este assunto: “O bloqueio será sempre considerado falta quando o jogador não tem objectividade na disputa da bola e antes e só na perturbação do adversário. É falta sempre que um jogador se interpõe entre o adversário e a bola, não se preocupando em jogá-la e sim em travar a marcha do adversário.

Já na altura da vitória do FC Porto frente ao Benfica por 3-2 para o campeonato, foram publicados em vários blogs de apoio ao FC Porto posts a alertar para esta situação, concretamente para o lance do 2-2 em que Luisão vem de posição de fora-de-jogo bloquear o Rolando para o Cardozo aparecer completamente só e fazer o golo. O que diz a lei do jogo sobre o assunto?
Lei 11
Um jogador na posição de fora-de-jogo só deve ser penalizado se, no momento em que a bola é tocada ou jogada por um colega de equipa, o jogador toma, na opinião do árbitro, parte activa do jogo: intervindo no jogo ou influenciando um adversário ou tirando vantagem dessa posição.
É pena que os responsáveis do FC Porto tivessem acordado tarde para este assunto. Jorge Jesus já está quase há três épocas no comando do Benfica e só depois de termos sofrido golos duas vezes seguidas com estes truques é que alguém decidiu falar. Lamentável.

21 de março de 2012

Mentes brilhantes

Como escrevi no post anterior não vou dar demasiada importância a este lance (ver imagem ao lado), mas com isso não quero dizer que sou otário. Esta imagem (e outras semelhantes) pode ser encontrada por essa blogosfera fora em blogs afectos ao Benfica como uma prova que Hulk estava mesmo em fora-de-jogo.

Se tivermos em atenção o corte da relva facilmente reparamos que a linha desenhada por esta mente brilhante não é paralela com a linha do relvado. Ou o senhor que corta a relva é muito incompetente ou o bandeirinha errou. Espera aí... será que se a linha defensiva tiver na diagonal e o adversário estiver nas costas da mesma está na mesma em fora-de-jogo? Fica a pergunta para quem souber responder.

Não me canso de repetir esta ideia, o facto de se dever desvalorizar este lance não apaga o facto de ele ter existido, por isso façam-nos o favor de não nos tentar atirar mais areia para os olhos.

Quem parece que também desvalorizou este lance foi o jornal A Bola. Não foi o único, mas depois da capa que fez no dia seguinte ao último Benfica-FC Porto não poderia deixar de falar sobre o assunto. Pelos vistos um fora-de-jogo tem mais ou menos valor dependendo da cor das camisolas. É uma pena que assim seja, caso contrário a capa d'Abola de hoje seria algo deste género:

Não sejamos ridículos

Quem diz que não se importa com o facto de ter perdido este jogo contra o Benfica mente. É óbvio que desde a criação da Taça da Liga o FC Porto sempre a desvalorizou dando prioridade às competições mais antigas. No entanto, esta época tínhamos uma boa oportunidade de a ganhar porque já fomos eliminados das competições europeias e da Taça de Portugal. E, apesar de algumas poupanças neste jogo, foi isso que tentamos fazer. Não deu.

Por lapso no meu post anterior coloquei o Cristian Rodríguez na equipa que eu escolheria para titular quando ele nem tinha sido convocado. Se tivesse reparado no meu erro a tempo talvez escolhesse mesmo o Palito para a esquerda do ataque como fez Vítor Pereira. Quanto ao resto da equipa seria a mesma que coloquei na imagem do post.

Quanto ao jogo, ambos os treinadores decidiram poupar alguns elementos e o Benfica venceu porque faltou inteligência à nossa equipa para segurar o 1-2. Então o lance que dá o terceiro golo do Benfica não pode acontecer de maneira nenhuma. O Cardozo é muito mais lento que toda a nossa defesa.

Não vou dar importância ao lance que deu o 2-2 ao Benfica nem o fora-de-jogo mal tirado ao Hulk perto do final. Não o faço porque o FC Porto esteve em vantagem no jogo e podia ter marcado por várias vezes antes do Benfica assumir o jogo e, depois de mandar três bolas ao ferro, empatar. A equipa não teve inteligência para gerir o jogo.

A ausência de Fernando têm-se notado bastante e acredito que com ele em campo neste jogo o resultado teria sido diferente. A equipa começou a perder a luta no meio-campo a meio da segunda parte e alguns minutos depois o Benfica chegou ao 3-2. Um dos motivos que me levariam a escolher Mangala para trinco era dar força ao meio-campo. Força essa que Moutinho, Lucho e Defour não podem dar.

Não foi um jogo espectacular mas foi bem disputado e teve bastante emoção, por isso pode considerar-se que foi um bom jogo. Já a transmissão televisiva foi um pouco "à BenficaTV". Sabiam que o golo do Maicon do jogo da liga foi em fora-de-jogo? Desde o início do jogo que os comentadores mostraram de que lado estavam. Na SIC não era de esperar outra coisa.

Era óbvio que todos queriam vencer este jogo, não tanto pela competição em que ele estava inserido mas pelo simples facto de ser um Benfica-FC Porto. Eu confesso que esperava uma vitória do FC Porto, mas infelizmente ganhou o Benfica.

Espero que este jogo não tenha influência negativa no plantel para o que falta do resto do campeonato. Porque, ao contrário do que disse o iluminado Jorge Jesus, este jogo não provou nada. Os jogadores do FC Porto têm agora de dar tudo nos últimos sete jogos desta época para conseguirem ser campeões e aí sim dizerem "nós somos a melhor equipa.".

20 de março de 2012

Será que esta taça interessa a alguém?

Se nos formos basear nas palavras de Jorge Jesus e Vítor Pereira (e até de Pinto da Costa) parece que não.

É engraçado que a LPFP, através do regulamento da competição, continue a favorecer aqueles que menos se interessam por este troféu. O facto dos oito primeiros classificados da Primeira Liga só entrarem quase na fase final da prova é para mim vergonhoso.

Numa altura em que o alargamento das ligas profissionais e o regresso das equipas B se encontram mal encaminhados, não seria oportuno rever esta competição? E que tal as equipas começarem todas ao mesmo tempo? Porque não obrigar as equipas a jogarem de inicio com quatro jogadores formados no país?

Actualmente é obrigatório jogarem dois portugueses formados em Portugal durante pelo menos 45 minutos cada um. Se olharmos para a convocatória do FC Porto chegamos à rápida conclusão que só temos Rolando, Moutinho e Varela que cumpram esses requisitos.

É um situação muito perigosa levar a equipa a ter de jogar com 10 por "opção" para não perder o jogo na secretaria. Vamos imaginar que o Moutinho e o Rolando chocam e têm de ser ambos substituídos aos 5 minutos de jogo. Obrigatoriamente teria de entrar Varela para o lugar de um deles e só aos 45 minutos de jogo se poderia efectuar a outra substituição. E o caso ainda podia piorar! Bastava para isso o Varela lesionar-se também e o FC Porto teria de jogar até ao intervalo reduzido a nove jogadores por causa do regulamento (e também por falta de jogadores da formação, claro). Já nem falo do caso de acontecer uma expulsão de um deles, aí sim seria o caos...

Eu sei que é improvável, muito mesmo, que isso aconteça, mas é possível. Visto isto era o onze que está na imagem que eu escolhia para este jogo com base nos convocados. Bracali é o dono da baliza nas taças daí Helton nem ir para o banco. Aproveitaria também para fazer descansar o Álvaro Pereira e o Lucho, dando oportunidade de jogar ao Alex Sandro e ao Defour. James ficaria no banco porque, na minha opinião, rende mais quando é lançado na partida do que quando é titular. Mangala ficaria com o lugar do lesionado Fernando.

A opção por Mangala no meio-campo deve-se principalmente ao facto de em caso de lesão de um dos portugueses durante a primeira parte ter de entrar Varela. Quanto a isto já vimos que não há nada a fazer a não ser prevenir esse cenário da melhor maneira possível. Assim sendo, em caso de acontecer um azar com o Rolando, passava o Mangala para o centro da defesa e a dupla Defour-Moutinho assumiria o meio-campo defensivo com Varela ou a ficar no apoio directo ao ataque. Se fosse o Moutinho a ter de sair do jogo por lesão seria um pouco mais simples, o Cristian Rodríguez passava para junto do Defour à frente de Mangala no meio-campo ficando o Varela a jogar como extremo.

Vítor Pereira tem uma tarefa particularmente difícil neste jogo. Se você estivesse no lugar dele o que faria? Visite http://www.somosporto.org/index.php?topic=892.0 ou use a caixa de comentários aqui do blog para dar a sua opinião.