11 de dezembro de 2013

As 31 decisões de Pinto da Costa

(Clicar na imagem para ampliar)

8 de dezembro de 2013

Uma imagem vale mais que mil palavras - 07/12/2013

Negar as evidências


A vitória no jogo desta jornada parecia impossível ao fim de 45 minutos. Com apenas um remate à baliza do Braga, o FC Porto voltou a estar longe daquilo que pode fazer e foi completamente dominado por uma equipa que, mesmo tendo qualidade, é claramente inferior aos tricampeões. No entanto - e para espanto de todos -, ao intervalo, mais que trocar Lucho por Carlos Eduardo, o treinador deixou o 4-2-3-1 de lado e mandou a equipa em 4-3-3 para a segunda parte. Embora o negue, Paulo Fonseca fez Defour jogar como único médio-defensivo e Herrera jogou em terrenos mais adiantados, lado a lado com Carlos Eduardo. Curiosamente, todos os jogadores do FC Porto subiram de rendimento e o Braga foi completamente subjugado. Quatro meses e 45 minutos depois, o técnico azul-e-branco decidiu apostar no sistema que os jogadores tão bem sabem interpretar.

Comparar a primeira parte para a segunda é como comparar a água para o vinho. Este jogo serve de lição e espero que o Paulo Fonseca perceba que no FC Porto não tem de se adaptar à forma do adversário jogar, mas sim que tem de jogar de forma a que sejam os adversários a terem de se preocupar com a forma como o FC Porto joga. Aqui não se dá a iniciativa ao oponente como aconteceu na primeira parte, aqui assume-se o jogo e domina-se o adversário como aconteceu na segunda. Sem duplos-pivots, sem um 10 que mais parece outro ponta-de-lança, sem disparates na defesa, , sem faltinha atrás de faltinha, com inteligência, com agressividade, com movimentações e trocas constantes. No fundo, com qualidade.

O 4-3-3 esteve lá e ganhou sem espinhas. O treinador recusa assumir abertamente que foi isso que aconteceu. Tudo bem, mas na quarta-feira em Madrid, mesmo negando-o, seria um sinal de inteligência apresentar a equipa tendo Fernando como único médio mais recuado. Voltar ao 4-2-3-1 seria mais que teimosia ou burrice juntos, seria suicídio e uma prova de incompetência.

PS: Parece que o mau momento do Jackson continua - mais dois golos.